Pesquisa da Unilever mostra impacto dos estereótipos para a equidade de gênero

Estudo realizado com nove mil pessoas em oito países, incluindo o Brasil, visa entender como as convenções sociais e vieses inconscientes impactam o desenvolvimento econômico da mulher

Dando continuidade ao seu compromisso de fomentar a diversidade e a equidade entre os gêneros, a Unilever realizou, em parceria com a The Female Quotient (TQF), o estudo “The Unstereotyped Mindset” (Pensamento Livre de Estereótipos). Com o objetivo de entender em profundidade os desafios enfrentados pelas mulheres para que atinjam todo o seu potencial e possam se desenvolver economicamente, a pesquisa mostra que os estereótipos de gênero, as convenções sociais e os vieses inconscientes são os principais obstáculos para acelerar o processo de igualdade entre homens e mulheres.

“O empoderamento das mulheres e das meninas oferece uma oportunidade única para o desenvolvimento humano e para o crescimento econômico. O último Relatório de Desigualdade de Gênero do Fórum Econômico Mundial, apresentado em outubro de 2016, mostra que podemos demorar até 170 anos para alcançar igualdade entre homens e mulheres. A comunidade empresarial tem o papel de fomentar, acelerar e liderar esse processo. Precisamos combater os estereótipos que limitam homens e mulheres tanto no ambiente de trabalho como fora dele”, Marina Fernier, vice-presidente de Foods da Unilever Brasil.

“The Unstereotyped Mindset” mostra que é preciso repensar a divisão de trabalho doméstico, rever as atitudes no mundo dos negócios e revolucionar a comunicação de marcas e produtos. O estudo também conclui que a maior parte dos entrevistados, três em cada quatro, acham que a responsabilidade por promover uma mudança de atitude é dos líderes seniores. O estudo mostra ainda o papel significativo da propaganda neste processo: 70% dos entrevistados acreditam que o mundo seria melhor se as crianças de hoje não fossem expostas a estereótipos de gênero na publicidade.

A companhia tem como intuito promover atitudes e mentes livres de estereótipos tanto dentro como fora de suas fronteiras. Ano passado, por exemplo, a Unilever lançou o movimento #Unstereotype, um compromisso global para combater os estereótipos na comunicação das suas marcas.

A pesquisa foi realizada em dezembro de 2016 com mais de nove mil pessoas em oito países – Argentina, Brasil, Estados Unidos, Índia, Indonésia, Quênia, Turquia, UK – sendo 50% homens, 50% mulheres, 50% com idade entre 18 e 35 anos e 50% com mais de 35 anos.

Dados trazidos pela pesquisa “The Unstereotyped Mindset”:

  • Enquanto 47% das mulheres afirmam que a distribuição desigual das tarefas domésticas e dos cuidados com os filhos é um obstáculo para a equidade de gênero, apenas 36% dos homens concordam com isso;
  • 61% acreditam que as mulheres se distraem com frequência por questões relacionadas à família/filhos. A porcentagem cai para 29% em relação aos homens;
  • 72% acreditam que as mulheres são pouco representadas nos cargos de liderança devido ao “corporativismo masculino”;
  • 70% concordam que o mundo seria melhor se as crianças não fossem expostas a estereótipos de gênero (tanto femininos, quanto masculinos) em campanhas de marketing;
  • 60% dos homens concordam que o retrato que a publicidade faz – tanto de homens como de mulheres – é baseado em estereótipos .

​Dados Brasil:

  • 56% acreditam que as empresas promovem mulheres para cargos de liderança para transmitir a percepção de equidade;
  • 58% das mulheres se sentem pressionadas a ignorar mal comportamentos dos homens em relação a elas;
  • 56% concordam que convenções sociais – como a de que existem trabalhamos tradicionalmente femininos e que a mulher é responsável pelos cuidados com a casa e com a família – são as principais barreiras para o desenvolvimento econômico da mulher.

INICIATIVAS UNILEVER EM PROL DA EQUIDADE DE GÊNERO

A Unilever já está engajada na construção de um futuro de igualdade entre homens e mulheres. A companhia adotou globalmente uma estratégia de diversidade que está diretamente ligada à visão da companhia de gerar crescimento ao mesmo tempo em que reduz o impacto ambiental e aumenta o impacto positivo na sociedade. Para isso, a empresa desenvolveu internamente mecanismos que proporcionam um ambiente inclusivo, no qual mulheres e homens possam desenvolver o seu potencial, assim como investe em parcerias institucionais e em ações de marca para promover o tema.

Compromissos públicos:

  • Em 2016, lançou o movimento #Unstereotype, ambição global para que as marcas da companhia eliminem os estereótipos de gênero e passem a representar homens e mulheres de maneira positiva e progressista;
  • A companhia é signatária global da campanha promovida pela ONU #HeforShe, lançada em 2014 com o objetivo de envolver os homens na remoção das barreiras sociais e culturais que impedem as mulheres de atingir o seu potencial;
  • É uma das empresas fundadoras da Associação Movimento Mulher 360, lançada em 2015 com o objetivo estimular a equidade de gênero nas empresas.

Sólidas políticas de RH:

  • 50,1% dos cargos de liderança no Brasil são ocupados por mulheres;
  • A Licença Parental estendida e flexibilizada, apresentada em 2016, estimula a maior participação do homem em casa, a iniciativa permite mais liberdade no planejamento familiar;
  • Fomenta o equilíbrio entre vida pessoal e profissional por meio de ações como berçário para crianças de 0 a 2 anos, home office e horário de trabalho flexível;
  • A Unilever também promove os conceitos de diversidade de perfis e de liderança autentica. O binômico possibilita que os funcionários da companhia, independentemente do gênero, possam colocar em prática todo o seu talento e potencial de entrega.

Iniciativas das marcas:

  • Incentiva o empoderamento da mulher por meio de suas marcas como, por exemplo, com o Programa Ciclo Brilhante e com Dove Projeto pela Autoestima.

Programa Ciclo Brilhante

A marca Brilhante lançou, em maio de 2015, o Programa Ciclo Brilhante, que tem como objetivo empoderar mulheres a abrir ou aperfeiçoar o próprio negócio. O Ciclo é gratuito e é dividido em três fases: módulo Escola de Você (plataforma online de cursos de empoderamento da mulher); Escola Brilhante (plataforma online de cursos sobre empreendedorismo) e Hora de Brilhar (treinamento presencial e acompanhamento de 10 empreendedoras). Desde o lançamento, o Ciclo já alcançou mais de 150 mil mulheres. Em 2017, a marca reafirma seu compromisso com o empoderamento da mulher e reforça a proposta da marca.

Dove pela autoestima

A marca Dove foi pioneira em trabalhar a autoestima feminina como posicionamento e é reconhecida por inspirar as mulheres a alcançarem todo seu potencial de beleza e bem-estar. Em 2004, a marca lançou a “Campanha pela Real Beleza”, que convidava mulheres do mundo todo a se sentirem bem consigo mesmas, e desde então, Dove segue fomentando a reflexão sobre os padrões de beleza. Como parte da evolução desse posicionamento, a marca lançou a sua missão social: melhorar a autoestima de milhões adolescentes ao redor do mundo. Os projetos da missão social de Dove acontecem desde 2013 e já impactaram mais de 30 mil pessoas no Brasil. Para mais informações sobre o programa, acesse: http://selfesteem.dove.com.br/.

Para acessar o infográfico com os destaques da pesquisa, basta acessar este link.

Anúncios