SP Lounge: Detran.SP monta pontos de encontro para quem usa transporte público, táxi e apps n o festival Lollapalooza

Ação faz parte de nova campanha educativa do Departamento de Trânsito contra a mistura de bebida e direção e conta com a parceria da Prefeitura de São Paulo

Misture heavy metal e indie rock, progressivo e eletrônico, hip-hop e punk, mas não misture bebida e direção. O respeito entre as tribos e estilos de música aliado ao comportamento responsável é a mensagem do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP), por meio do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, em sua nova campanha educativa, que tem como foco o público do Lollapalooza 2017.

Para os dois dias do festival, que acontece neste sábado (25) e no domingo (26) no Autódromo de Interlagos, será montado o SP Lounge, ponto de mobilidade pra receber quem escolhe o transporte público, os táxis e os serviços de motoristas particulares por meio de apps como meio de transporte. Assim, os usuários desses serviços terão um ponto específico para sua chegada e saída, sem correr o risco de não encontrar um amigo, o motorista que irá atendê-lo ou de ficar sem bateria no celular.

O SP Lounge 1 vai ficar na Praça Enzo Ferrari e deve ser utilizado para quem vai chegar ao festival usando apps e caronas em geral. Já o SP Lounge 2, na Praça Automóvel Clube Paulista, fica a cerca de 300 metros da estação Autódromo da CPTM e é o ponto mais próximo do portão 9, principal entrada do público. Ele vai receber os usuários dos trens e das linhas de ônibus especiais da SPTrans. Neste local não haverá acesso para veículo, já que as vias estarão bloqueadas.

“Queremos mostrar como é importante a atitude de quem não mistura bebida e direção e com isso não coloca vidas em risco. Por isso, o SP Lounge não vai ser só um ponto de embarque e desembarque. Vai ser um espaço onde o público pode interagir, encontrar seus amigos, participar de uma simulação sobre os efeitos do álcool ao volante, carregar seu celular, ouvir música, enfim, se divertir”, afirma o diretor-presidente do Detran.SP, Maxwell Vieira.

O SP Lounge é uma parceria do Detran.SP com a Artesp, a CET-SP, a SPTrans e a Secretaria de Mobilidade e Transportes da Prefeitura de São Paulo.

Campanha digital – Para atingir o público jovem do Lollapalooza, além do SP Lounge, o Detran.SP vai utilizar os meios digitais e as redes sociais para levar sua mensagem de conscientização e prevenção de acidentes de trânsito causados pela combinação de álcool e direção.

Quem quiser fazer um esquenta musical pode adicionar a playlist “Paz, Amor e Rock n’ Roll” no Spotify (goo.gl/5tAzWf), maior plataforma de música do mundo. Com curadoria do próprio Detran.SP, a playlist tem músicas de várias bandas que vão tocar no festival, com os mais variados ritmos.

No YouTube, um vídeo especialmente criado para o evento mistura riffs das duas bandas mais aguardadas no festival: Metallica e The Strokes (https://youtu.be/QatAM2EoOfw).

No Facebook, até domingo, serão divulgados os endereços dos pontos de encontro e a cobertura do que acontece no SP Lounge.

Movimento Paulista de Segurança no Trânsito – Todas as ações da campanha do Detran.SP fazem parte do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, um programa do Governo do Estado de São Paulo que tem como principal objetivo reduzir os óbitos no trânsito.

Com queda de 3,7% no número de mortes em acidentes de trânsito nos dois primeiros meses do ano e de 4,3% no número de acidentes com vítimas no mesmo período, o Movimento comemora os bons resultados alcançados. A meta fixada pelo programa do Governo do Estado é reduzir pela metade os casos de óbito no trânsito até 2020.

Em comparação com o mesmo período de 2016, segundo o Infosiga -SP (Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito no Estado de São Paulo), o número de mortes de acidentes no trânsito caiu de 855 para 823 ocorrências.

Outros dados fornecidos por meio dessa ferramenta técnica indicam que, entre os 415 acidentes fatais registrados em fevereiro, 79% envolvem homens (327 casos) e 21% mulheres (87).

A predominância é de jovens entre 18 e 24 anos, com 16% (66) dos casos fatais, seguido pela faixa etária de 25 a 29 anos (49 casos).

Anúncios