5 dicas de como fazer um brainstorming que resulte em boas ideias

Confira algumas orientações do especialista em Marketing Digital, Roberto Sá Filho

Diferente do que se costuma acreditar, a criatividade não é um dom “recebido” exclusivamente por algumas pessoas mais bem-dotadas. Segundo estudiosos da área, como o famoso Alex Osborn, a criatividade é uma capacidade que todos possuem, mas deve ser desenvolvida por meio de alguns processos mentais que podem ser aprendidos e treinados.

O próprio Osborn desenvolveu um muito conhecido: o Brainstorming. Porém, até esse processo precisa seguir algumas diretrizes para que tenha resultados, é o que defende Roberto Sá Filho, pós-graduado em Marketing Digital, pela ESPM, e professor-parceiro da Brasília Marketing School (BMS). Confira as dicas:

1- Evite julgamentos

Roberto explica que um dos principais pontos de um bom Brainstorming é evitar o julgamento. A pressa no julgamento leva ao descarte de ideias que poderiam ser base para outras melhores, e até ser o início da solução. O ideal é dividir o processo em dois: o Brainstorming e somente depois o julgamento e seleção das ideias. “No início, muitas ideias podem parecer um tanto simplistas ou até estranhas, mas não devem ser evitadas ou repreendidas”, expõe o especialista.

2- Desarticule as hierarquias

Um erro muito comum nessa técnica é a presença de hierarquia, indica o professor-parceiro da BMS. Segundo ele, a figuras superiores, quando não gera julgamento, gera o medo do julgamento. “Em um processo de explosão criativa, todos devem ter a mesma liberdade e oportunidade de sugerir ideias. A presença de figuras superiores pode acabar por suprimir isso”, defende o especialista.

3- Trabalhe no foco

“Acredito que todo profissional que lida periodicamente com o Brainstorming já deve ter percebido na facilidade da conversa andar para outros caminhos que não sejam o de encontrar a solução”, aponta Roberto. Segundo ele, o foco é extremamente importante para evitar que os brainstormings sejam sinônimo de longas reuniões de bate-papo improdutivo.

4- Não se apegue às suas ideias

O Brainstorming é o momento de exposição e criação de possibilidades, então é importante ter um pouco de desapego. “Se você se agarrar à sua ideia, o processo é interrompido e abre margem para julgamentos. A ideia é criar, combinar e analisar diversas possibilidades”, argumenta o professor.

5- Esteja preparado

“Por mais livre que seja o processo de Brainstorming, ele deve ser baseado em conhecimento sólido”, adverte Roberto, pontuando que o problema a ser solucionado deve estar muito claro para toda a equipe. “Todos devem ter tido tempo para se debruçar sobre o problema e estudar os temas que podem ser pertinentes. Conhecimento e reparação são fundamentais”, pontua.

Processos Criativos

Contudo, o Brainstorming é somente uma das diversas técnicas de solução de problemas de forma criativa que podem ser estudadas e treinadas. “Não podemos esperar que o insigne criativo seja um ‘milagre’”, ressalta Roberto. “Por exemplo: no curso de Processos Criativos da BMS podemos experimentar que a chance de se conseguir um resultado satisfatório é muito maior quando há o treino de processos mentais que levam às respostas e são aplicadas ferramentas, como o Brainstorming, da forma certa”, explica o professor-parceiro da instituição, ressaltando que, apesar de haver certa ligação entre a criatividade e algumas áreas como a comunicação e as artes, o mercado exige profissionais criativos em todos os setores.

Anúncios