Superdigital aposta na cocriação com influenciadores digitais

Superdigital aposta na cocriação com influenciadores digitais

Estratégia de lançamento da fintech do Santander Brasil se baseou em trabalho conjunto, conduzido pela Agência3 e realizado no Museu do Amanhã, no Rio.

Nasce nesta terça-feira, 9, a fintech Superdigital, uma empresa do Grupo Santander que promete transformar a maneira como o dinheiro transita entre pessoas, empresas e estabelecimentos comerciais. O projeto vem sendo desenvolvido há cinco meses, em regime de cocriação com alguns dos dez maiores influenciadores digitais brasileiros – entre youtubers, blogueiros, jornalistas de tecnologia e heavy users digitais, convidados para um workshop no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro.

Inspirada no comportamento multiconectado contemporâneo, a Superdigital traz em sua concepção um novo jeito de se pensar o dinheiro. Por meio de um aplicativo, é possível transferir recursos para outros usuários de modo tão simples quanto enviar um whatsapp. Um serviço inspirado na maneira como hoje as pessoas conversam e se relacionam no dia-a-dia. Uma solução sem burocracia para as trocas financeiras, inclusive em outras moedas. "É a nova versão do seu dinheiro”, sintetiza Ezequiel Archipretre, CEO da Superdigital.

Para participar das atividades de cocriação, cada influenciador recebeu um telefone, já com o app Superdigital, para testar a usabilidade e discutir as funcionalidades. Além das trocas sobre pontos de melhoria foram investigadas as tensões dos influenciadores com a relação com dinheiro e com as instituições financeiras como são representadas hoje.

“Quando criamos nossa divisão de inovação, a Hackespace3, há pouco mais de um ano, apostamos que o conhecimento compartilhado e a metodologia focada para inovação romperiam barreiras e ajudariam marcas a criar novos modelos de negócios”, explica Eduardo Barbato, Vice-Presidente de Estratégia da Agência3. Com os insights em mão, a equipe realizou um seminário interno, onde foram estabelecidos os principais pontos de melhoria, todos voltados para mais segurança e autonomia do usuário.

O desenvolvimento do projeto seguiu a metodologia do Hackerspace3, que mistura conceitos do “Disciplined Entrepeneurship – 24 Steps to a Sucessful Startup”, do Massachusetts Institute of Technology (MIT), e do Human-Centered Design, da Ideo. A primeira etapa, em outubro, foi a realização de exercícios criativos com a equipe de projeto, a fim de estudar o posicionamento social do produto. Em novembro, iniciou-se o projeto colaborativo, quando um grupo de dez influenciadores.

“O processo foi muito rico. A partir das percepções dos influenciadores, conseguimos ter um melhor entendimento sobre as mudanças a serem implementadas. Percebemos, por exemplo, que ainda tinham funções mal explicadas e que precisávamos de um visual mais popular. Tão importante quanto as melhorias no produto em si, foi o modo como transformamos a nossa própria visão sobre superdigital a partir do workshop. As definições de visão, missão, personalidade e territórios da marca foram repensadas também”, conta Barbato.

Linha criativa

Após a implementação das melhorias e a construção do novo briefing de comunicação, o Hackespace promoveu um novo encontro com os influenciadores, em fevereiro deste ano, para dividir com o grupo as mudanças realizadas após as sugestões e apresentar as possíveis linhas criativas para o produto, a fim de captar novas ideias. Após o bate papo, venceu a linha criativa "Não adianta” para a campanha, que traz em sua defesa o argumento que “seja de plástico ou de papel, o dinheiro, como conhecemos, ficou com os dias contados”.

Para o lançamento da campanha foram criados filmetes (https://youtu.be/nGIt5GiXDqg) ressaltando funcionalidades do produto, mostrando amigos fazendo transferências, vaquinhas, rachando contas, tudo com um simples toque no celular. O dinheiro em papel moeda será retratado em um personagem, sujo, velho, ultrapassado, vestindo um terno de cifras remendado com fita adesiva. Até mesmo a lentidão de um simples processo bancário realizado pela internet estará representada. O “senhor dinheiro” carregará um token no pescoço.

As campanhas entram no ar essa semana, com destaque para o Google e o Facebook. Em paralelo, a Agência3 continuará apostando no apoio dos cocriadores. Eles serão os primeiros a ter acesso ao Superdigital e poderão indicar, cada um, um grupo de dez amigos para conhecer o produto. Esses, por sua vez, também poderão recomendar outros 50 amigos, formando, assim, a primeira rede de Superdigitais.

Anúncios