Mídia: Noite é melhor período para sugestão de pauta

Press releases são mais lidos quando enviados entre 18h e 22h, aponta levantamento do Grupo Comunique-se

C0munique-se
Enviar press releases à noite e para poucos e bem-selecionados jornalistas é uma estratégia que pode aumentar consideravelmente a eficiência de uma divulgação junto à imprensa. A informação é do Grupo Comunique-se (www.comunique-se.com.br), que analisou mais de 44 mil materiais enviados à mídia pela ferramenta Workr, entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2016.

Segundo a pesquisa, o material de divulgação enviado entre as 18h e 22h concorre com menos e-mails pela atenção dos jornalistas (apenas 2% da quantidade diária costuma chegar nesse horário), vindo a ser aberto em 10% dos envios. Entre as 10h e 12h, período do dia em que mais e-mails costumam ser direcionados às caixas de entrada das redações (28%), o percentual é de só 6,3% (confira no infográfico).

O levantamento mostra ainda que a taxa de abertura cresce à medida que o número de destinatários de um press release cai. Por exemplo: em mailings com 10 ou 20 mil contatos, apenas 2% dos envios costumam ser abertos. Já quando disparados para até 500 destinatários, a taxa de sucesso sobe para 30%.

Outros insights

Caso o disparo de press releases não possa acontecer à noite, os melhores dias para o envio de um press release, independente de horários, são quintas e sextas-feiras, com 7,5% de taxa de abertura. Em seguida, fica a segunda-feira, com 7,3%. Os dias mais fracos no quesito são o sábado e o domingo, nos quais a maioria das redações funciona em esquema de plantão, registrando 6,5% de taxa de abertura.

Os dados apontam também algumas estratégias menores, mas que podem fazer a diferença no momento de uma divulgação. Economizar no número de editorias abordadas é uma delas: press releases que focam em até três áreas do jornalismo têm desempenho 12% melhor do que os que abrangem quatro ou mais – tanto em número de aberturas, quanto de cliques.

Creditar o remetente como empresa, e não pessoa física, também aumenta as chances de leitura: de 7% para 7,5%. O emprego de frases curtas (com até 50 caracteres) no assunto dos e-mails é outra opção, pois ajuda o material a atingir uma taxa de abertura de até 7,6%.

“Estamos constantemente avaliando nossa base de contatos – que em breve incluirá influenciadores digitais – e sua utilização pelos clientes para garantir sucesso na abordagem. Essa pesquisa veio nesse sentido e casa com nosso objetivo de sermos referência não só em comunicação corporativa, mas também em marketing de influência”, comenta Rodrigo Azevedo, fundador do Grupo Comunique-se.

Anúncios