Natura apresenta guia para sustentabilidade em logística

Em parceria com outras seis empresas, 22 medidas foram desenvolvidas para aprimorar a eficiência do transporte de carga. Medidas visam reduzir o consumo de energia e poluentes na atmosfera

Com o apoio do Laboratório de Transporte de Carga (LTC) da COPPE/UFRJ, a Natura e outras seis empresas parceiras apresentaram na quarta-feira, 31 de maio, o Guia de Referências em Sustentabilidade: Boas práticas para o Transporte de Cargas. O documento faz parte do Programa de Logística Verde Brasil (PLVB), que tem o objetivo de desenvolver e consolidar novas práticas para o transporte de cargas.

O documento é estruturado com 22 medidas para reduzir o consumo de energia, a intensidade das emissões de gases de efeito estufa e outros poluentes atmosféricos, mantendo o mesmo nível de eficiência. A Natura é uma das empresas com iniciativas pioneiras no setor de logística.

Keyvan Macedo, gerente de sustentabilidade da Natura, explica que a empresa já implantou onze propostas. “Outras seis já fazem parte de projetos piloto para sua completa implementação e duas não se aplicam ao nosso modelo de negócios”, afirma. “Isso quer dizer que falta pouco para aderirmos plenamente ao plano e sermos ainda mais eficientes e sustentáveis”, comemora Keyvan.

Para o coordenador do centro de transportes do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas (FBMC), Roberto Vámos, o PLVC é um grande passo para balizar ações públicas e empresariais e assim alcançar as metas contidas no tratado de Paris. O acordo, firmado em 2015, definiu medidas de redução de emissão dióxido de carbono a partir de 2020.

O Guia de Boas Práticas
Dentre as medidas adotadas no plano, estão ações como implantação de centros de consolidação de carga em áreas urbanas, utilização de equipamento auxiliar de geração de energia para redução de consumo de combustível fóssil, redução da velocidade de deslocamento e otimização de rotas. Combinadas, essas iniciativas devem proporcionar uma significativa redução de custos, além dos almejados benefícios ambientais.

Para Macedo, o grande desafio é obter mais ganhos, com menos tempo de entrega e mais eficiência no transporte, sempre com a atuação de políticas socioambientais que contribuam para uma logística mais sustentável. O gerente ainda complementa que a adesão ao plano não é um fator positivo só para as empresas que colaboraram com a construção do programa, mas para qualquer uma que tenha interesse na redução de efeitos ambientais negativos.

Eficiência logística na Natura

Em 2014, a Natura implantou um projeto de entrega verde que utiliza mais de 20 veículos sustentáveis – entre carros elétricos e bicicletas – para entregar produtos da marca em quatro estados (SP, MG, ES e SC). A fabricante de cosméticos foi a primeira empresa na América Latina a usar veículo elétrico de carga em sua operação.

Pensando na redução dos impactos ambientais em relação ao modal rodoviário, a Natura também ampliou o uso da navegação de cabotagem para a entrega de produtos nos três centros de distribuição localizados no Norte e Nordeste. A iniciativa contribuiu para evitar que mais de duas mil toneladas de gases de efeito estufa sejam lançadas na atmosfera.

Anúncios