Os benefícios dos elementos naturais para o ambiente corporativo

Iluminação natural e áreas verdes pelo escritório têm o poder de tornar o espaço mais harmônico, saudável e produtivo para funcionários

Além dos elementos naturais, a vegetação contribui para a dimensão estética de um escritório, as plantas ajudam o organismo das pessoas a funcionarem melhor, o que promove maior qualidade de vida em meio à agitação e estresse do ambiente corporativo. A arquiteta especialista em ambiente de trabalho, Priscilla Bencke, afirma que a integração dos elementos naturais no ambiente de trabalho é fundamental para a integridade física e mental dos colaboradores. De acordo com a pesquisa realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o país com mais casos de depressão e ansiedade da América Latina. “As duas doenças são as que mais influenciam na incapacidade das pessoas e o ambiente corporativo possui grande presença nisso, quando não é organizado e preparado para beneficiar o bem estar dos funcionários”, declara Priscilla.

Segundo uma pesquisa realizada mundialmente pela Human Spaces (Espaços Humanos) sobre o impacto global do design biofílico no ambiente de trabalho, o Brasil é um dos países que mais necessita ter essa conexão com a natureza. A biofilia levantada por esse estudo analisa a conexão das pessoas com a natureza aplicada ao espaço de trabalho. “Sabemos que a relação entre os indivíduos e seus espaços de convívio pode afetar diretamente a maneira como eles desempenham, sentem e interagem uns com os outros”, expõe a especialista. Projetar espaços confortáveis, inspiradores e energizantes cria uma relação benéfica entre o bem estar psicológico e as expectativas dos funcionários no ambiente de trabalho.

Efeitos comprovados

Estar em um ambiente no qual é possível enxergar elementos naturais visualmente aumenta a sensação de bem estar, além de apresentar inúmeros benefícios pelo corpo. Entre eles estão à liberação de dopamina, que é a sensação de prazer produzido pelo cérebro, melhora o desempenho cognitivo, consequentemente, aumentando o desempenho dos profissionais e a criatividade. Por outro lado, baixa a frequência cardíaca, ou seja, os elementos naturais possuem o poder de acalmar a mente e o corpo através do campo natural.

De acordo com dados fisiológicos levantados pela pesquisa, investir em elementos naturais aumenta 15% da sensação de bem estar, 15% de criatividade e 6% de produtividade. Um dos principais pontos do estudo aponta cinco elementos mais desejados dentro de um escritório:

1° lugar: 44% iluminação natural

“Nós temos um relógio biológico dentro do nosso organismo, e precisamos perceber os períodos da manhã, tarde e noite, principalmente, quando começa a anoitecer, pois produzimos mais hormônios do sono”, explica Priscilla. Estar só sobre a iluminação artificial durante o dia faz as pessoas não perceberem a questão do horário o que dificulta e propicia para que se aumente a dificuldade na hora de descansar ou dormir, ocorrendo à temida insônia que impacta diretamente na produtividade e na saúde das pessoas. Janelas com vista para a ‘natureza’ ajudam a diminuir a frequência cardíaca e reduz questões de estresse. Segundo a pesquisa realizada pela Human Spaces 47% dos escritórios não possuem luz natural no ambiente, o que demonstra uma média de quase 50%.

2° lugar: 20% plantas e flores

A necessidade de qualquer ser humano é a conexão com a natureza. Pesquisas comprovam que distribuir folhagens e plantas próximas aos locais de trabalho aumenta 6% da produtividade e estimula 15% da sensação de bem estar e criatividade. A vegetação pode ser criada virtualmente através de imagens, quadros, telas com projeções de imagens ou revestimentos que simulam madeira, pedras e plantas. “Além de ser econômico é bem fácil de aplicar no ambiente”, evidencia a arquiteta.

3° lugar: 19% conforto acústico (ter um escritório silencioso)

Os ruídos são os principais vilões de qualquer ambiente de trabalho. É impossível se manter concentrado com o barulho do trânsito da rua, com o colega da mesa ao lado falando no telefone ou com o ruído do ar condicionado que já não funciona direito. Pesquisas mostram que diminuímos 40% da capacidade de produção com a presença de barulhos externos. Ou seja, os erros aumentam em quase 30%, devido às distrações em ambientes com a presença de ruídos.

4° lugar: 17% vista para o mar e lagos (como forma de descanso)

Olhar visualmente para vistas “tranquilas” como a natureza e o mar aumenta a sensação de bem estar e produtividade no ambiente, pois retira a pressão e o estresse produzido pelo ambiente corporativo.

5° lugar: 15% cores mais vibrantes

Cada cor atinge uma área do cérebro de forma diferente a partir da nossa visão, gerando determinados comportamentos em cada um. Por isso, é muito importante ter um estudo na hora de escolher a melhor cor para o ambiente, observando de forma bem generalizada suas categorias: as cores quentes e as cores frias. “As frias dão sensações mais calmas, tranquilizantes. Já as quentes passam sensação de calor, são ligadas ao sol e às altas temperaturas, nos deixam mais ativos”, salienta a arquiteta.

Dentre as cores básicas, estão na categoria “quentes”: o amarelo, laranja e vermelho. Já as frias são o azul, verde e violeta. Dentro dessa variação, há muitas formas de se trabalhar o ambiente, pensando sempre em qual será a melhor para cada área de atuação. Em se tratando do estresse, as cores quentes devem ser evitadas, pois elas deixam o ambiente mais acelerado, causando as sensações de excitação e ansiedade.

Investir nesses elementos naturais cria estímulos para que os funcionários produzam mais resultados financeiros para a empresa. Além disso, evita o presenteísmo que é o nome dado ao fenômeno de se estar de corpo presente no ambiente de trabalho, mas, por vários motivos o profissional não tem produtividade. Ou seja, o indivíduo está fisicamente presente, mas a mente não está. “Se a pessoa está bem consequentemente ela produz melhor, gerando mais resultados para a empresa, até mesmo financeiramente”, conclui Priscilla Bencke.

Anúncios